Frango e Prosa na Rua Aurora - Linhares 5 - Por Pablo Castro

Era domingo, o primeiro da semana e lá por volta de meio dia, depois de ter acordado tarde e a família reunida para a faxina matinal, a irmã mais velha aos gritos, da varanda de casa, chamava a vizinha: “Iraci, dois frangos, feijão tropeiro e um refrigerante. Ah, mamãe falou que é pra você anotar o de hoje”. E, assim, o almoço estava garantido, a faxina feita e o domingo seguia com seu tom.

Iraci é a dona do abatedouro que existe na rua Aurora Nunes de Oliveira no Bairro Linhares 5,  que fica em frente a uma capela mortuária, um jardim de infância e um colégio, além de ser ponto de ônibus. Ou seja, é uma referência.

A Iraci não é qualquer tipo de patroa, pois além de entrar no puleiro, trabalha com a família. A Iracilda, sua irmã, entregava as encomendas montada numa bicicleta distribuindo simpatia e alegria, os frangos viviam altas aventuras. As irmãs, cunhadas, sobrinhos, sobrinhas e o Zé Video dominavam em matéria de gestão e organização. Sem contar que a Iracilda ainda trabalhava durante a semana no colégio Regina Banhos Paixão que fica  ao lado da Igreja São Joao Batista - comunidade do velho Antônio, Sr. Zezinho, Celeziana, Vera Lucia, Lucia Viguiny, Salvador, Itelvina, Dona Joaninha, Mercedes, o velho João, Graça, Marlene, isso sem contar os filhos, netos, e agregados. Mas, também o colégio fica em frente a casa dos Irmaos Geovana, Thiago e Glauber. Essa casa é lugar de reunião diária de uma garotada terrível e gente boa. Eles sabem disso e conhecem o abatedouro.

Mas, voltando ao assunto, você ia comprar um frango e encontrava tanta gente que virava ponto de encontro. Lá no abatedouro não faltava assunto: política, viagra, dentadura, morte, preços do mercado, boca de urna, e rolava até críticas ao péssimo sermão do padre e da desenvoltura do pastor.

O abatedouro era e é divertido. Fico imaginando agora nestes tempos de listas da Odebrecht, Lula Preso-Solto, Lista de verdade e Mentira, Baleira azul e colorida, Governo Temer cortando tudo que atinge a gente - pobre, assalariado e trabalhador - o quão bacana deve estar sendo esperar um frango assado.

Faz um certo tempo que não fico para um franguinho, Então, você - caro leitor que gosta de encontros inusitados e boa culinária - compre Frango na Iraci para a gente aditar uma prosa.

Ah, lembrando, só não vale furar fila e gritar de longe.

Pablo Castro - Poeta, Professor de Filosofia,  tricolor carioca e ativista das causas sociais.