Direto ao Ponto: Delegado Contarato mostra força política em 2018

A força de Contarato

O delegado Fabiano Contarato mostrou que tem força e capital mesmo depois do sumiço ao assumir o cargo de corregedor-geral do Governo do Estado em 2016. O que ele faz, pouquíssimos sabem. No entanto, a geladeira não o fez cair no esquecimento. Recém-filiado no Rede de Marina Silva, Contarato aparece com 11% das intenções de voto. O delegado aparece atrás de Magno (PR) -44,7%-, Ferraço (PSDB) -42,1%- e Amaro Neto (PRB) -32%-, todos com mandatos. Em 2014, o ex-xerife do trânsito chegou a ensaiar apoio a Casagrande, mas declinou em favor de PH. Hoje, filiado ao Rede, ele é o pupilo de Audifax Barcelos (Rede), prefeito da Serra.

 

Qualidade: sou honesto

A situação anda tão complicada que ser honesto deixou de ser uma obrigação e passou a ser uma qualidade no Brasil. O dado foi constatado de forma cientifica após pesquisa realizada em março deste ano pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Para presidente, a pesquisa apontou que pobreza e crença em Deus são atributos a serem considerados na hora de escolher um candidato. Será mesmo?


Lula x Bolsonaro x Marina

Uma recente pesquisa realizada pelo Instituto Futura no Estado apontou que o ex-presidente Lula (PT), mesmo preso, é o preferido dos eleitores capixabas. O polêmico Bolsonaro (PSL) aparece em segundo e a acreana Marina Silva (Rede) em terceiro. Na prática, se Lula não for candidato, a eleição, se fosse hoje, estaria polarizada entre Mariana e Bolsonaro. Resta saber se a pessoas iam querer o discurso do deputado ou o acolhimento da ex-senadora.


Você confia em pesquisa?

Discutir política no Brasil é tão sério quanto comentar sobre religião e futebol. Tem gente que defende o seu time/padre/pastor/político com unhas e dentes. Tem alguns que agem com violência extrema. Enfim, ter opinião pode ser perigoso. Nesse aspecto, muita gente desconsidera a credibilidade de uma pesquisa política. A divulgada pelo Instituto Futura aponta empate técnico entre Paulo Hartung (MDB)  e Renato Casagrande (PSB).


Verdade ou consequência

Os apaixonados em teoria da conspiração logo trataram de criar milhares de hipóteses para desqualificar e suspeitar a veracidade dos números. Hoje, o cenário apontado pela Futura deve mesmo condizer com a realidade. O povo quer mais saúde, segurança pós-greve da Polícia Militar e mais educação com escolas vivas de verdade. O fato é que será preciso dar tempo ao tempo. Afinal, a campanha vai para rua só no mês de agosto. Haja água para rolar...

 

Diga-me

O candidato de hoje pode ser barrado pela convenção partidária de amanhã