Prefeitura de Aracruz fica sem recolher lixo da cidade

A falta do recolhimento de lixo na cidade de Aracruz, norte do estado, está deixando a população impaciente com o prefeito Jones Cavaglieri (Solidariedade). Na internet, há diversos moradores anunciando mutirão para despejar o lixo produzido nas residências em frente à sede da Prefeitura Municipal, localizada no bairro Morobá, e até mesmo na casa do prefeito. No último dia 5, o Tribunal de Justiça do Espírito Santo suspendeu a contratação da empresa AS Gestão de Serviços Especializados, responsável por recolher os resíduos no município.

Após o fim do contrato emergencial com a AS, a ESTRE foi contratada via Procedimento Público para contratação emergencial. No entanto, a empresa não apresentou licença ambiental emitida pelo Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) e foi desclassificada. A SA então foi convocada, mas impedida pela Justiça de retomar as atividades.

Em entrevista concedida à uma rádio de Aracruz, o prefeito explicou que os advogados da Prefeitura estão trabalhando para que a situação seja normalizada e que de fato uma das empresas possa atuar no município. Durante sua fala, o prefeito pediu a compreensão dos moradores e solicitou que o lixo produzido seja mantido dentro de suas casas. Enquanto isso, os resíduos sólidos ficam expostos e podem ser encontrados nas calçadas e vias públicas de Aracruz.

“Como que vou guardar meu lixo dentro de casa, gente? Isso é impossível! O certo era o prefeito a equipe dele e toda essa corja de político resolver logo essa situação. Meu marido queria fazer besteira e jogar tudo lá no pátio da prefeitura, mas eu não deixei. Se a gente perde a razão, fica mal e pode ter problema. Mas alguém precisa nos ajudar. Já não aguento mais tanta barata e mosca dentro de casa”, disse a dona de casa, Angelina Dalcim, moradora do bairro Clemente.