Palácio Anchieta recebe itinerância da 33ª Bienal de São Paulo

O Palácio Anchieta recebe a partir da próxima quarta-feira (27), o maior evento de artes visuais da América Latina. A mostra itinerante 33ª Bienal de São Paulo – Afinidades Afetivas traz para Vitória uma variedade de linguagens artísticas como pinturas, vídeos, esculturas, fotografias, colagens e instalações produzidas por artistas de sete países. A exposição é uma realização da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Fundação Bienal de São Paulo e Ministério da Cidadania. A abertura será às 17 horas e a entrada é gratuita.

A mostra adota como modelo curatorial a multiplicidade do olhar dos artistas sobre seus próprios contextos criativos. Para o secretário de Estado da Cultura, Fabricio Noronha, a exposição traz a força transformadora da arte no cotidiano das pessoas.  “A Bienal se espalhando por outros espaços (e aqui, no nosso) é oportunidade de encontro, de conectar cultura e questões da sobrevivência no mundo. Trazemos o presente, o passado e possibilidades infinitas de estarmos abertos ao novo”, ressalta.

De acordo com o diretor do Museu de Arte do Espírito Santo (MAES), Renan Andrade, a realização da Itinerância em Vitória, pela parceria entre a Secult e a Fundação Bienal de SP, é bastante simbólica, já que é a primeira vez que a Bienal vem para o Espírito Santo.

Ele explica que isso acontece “em um momento em que a cultura em nosso Estado abraça novas conversas e inventa novos encontros. Um tempo de desafios para a arte no nosso país, numa busca firme e democrática para o fortalecimento da nossa cultura. Oferecer para o público capixaba e vizinhos um recorte do maior evento de artes visuais da América Latina, a segunda Bienal mais antiga do mundo, é uma oportunidade de enriquecer o acesso e o diálogo da nossa produção cultural para com o mundo", disse.

O coordenador da galeria Homero Massena, Nicolas Soares, fala sobre a temática da exposição. “Afetar é umas das principais operações da arte. A arte mobiliza afetos, desde a elaboração de uma inquietação no processo criativo do artista até a inquietação da elaboração a partir da experiência do espectador.  A vida como fundamental propulsora para a produção artística possibilita uma via mútua artista-arte-espaço-espectador de uma forma mais aproximada. Afinidades Afetivas, nesta itinerância da Bienal, aqui no Espírito Santo, nos fazem pensar como estamos nos conectando e nos afetando no campo da arte no estado e para além.

 

Curadoria

A seleção do curador convidado Jacopo Crivelli Visconti traz uma gama de artistas  que contemplam várias linguagens como Alejandro Cesarco, Ana Prata, Ben Rivers, Bruno Dunley, Bruno Moreschi,Gunvor Nelson, John Muller & Richard Hoeck, Rafael Carneiro, Sara Ramo, Sofia Borges, Vânia Mignone, Siron Franco, além de uma coleção de máscaras do Centro de Artes visuais Museo del Barro, de assunção, Paraguai e uma homenagens a dois artistas falecidos: o guatemalteco Aníbal López, e a brasileira Lucia Nogueira.

Visconti elaborou um recorte do projeto original elaborado pelo curador geral da mostra, Gabriel Pérez-Barreiro, mas que mantém o mesmo modelo de experiências curatoriais múltiplas, ou seja, quando o conteúdo da exposição não é determinado ao de uma temática única. Neste sentido, a exposição não replica literalmente o que se viu na última Bienal em São Paulo, mas apresenta diferentes associações e relações a partir de recortes de obras e artistas.

“A 33ª Bienal reforça a disposição para colocar em discussão o pensamento curatorial. A exposição se torna uma obra aberta, permeável às relações e contaminações que as próprias obras sugerem, e na qual o conceito de autoria se dissolve quase que completamente: a 33ª Bienal é, antes de mais nada, um exercício coletivo de prática curatorial experimental”, disse.

 

Ações educativas

O programa de mostras itinerantes irá promover ações para professores, educadores e mediadores de público das instituições parceiras do programa no Palácio Anchieta. A partir dos conteúdos da 33ª Bienal e da publicação educativa feita para a mostra “Convite à atenção”, as ações propõem exercícios que convidam as pessoas a estarem atentas para a experiência com a arte em diversos contextos, desde o encontro com a obra até o compartilhamento da reflexão sobre ela. 

O programa de mostras itinerantes com seleções de obras da Bienal de São Paulo é uma iniciativa que chega em 2019 à sua quinta edição. A itinerância da 32ª Bienal, em 2017, percorreu 13 cidades, sendo duas no exterior, e recebeu um público total de 650 mil visitantes.

Para a realização das Itinerâncias da 33ª Bienal foram firmadas parcerias inéditas com a Secretaria de Estado da Cultura (ES), o Museu Nacional (DF), a Fundação Iberê Camargo (RS) e o Museo de Antioquia, em Medellín (Colômbia). Também foram renovadas parcerias com o Sesc SP, a Fundação Clóvis Salgado (MG) e a Universidade Federal de Juiz de Fora (MG).

“A Bienal de São Paulo é um patrimônio cultural de todo brasileiro, e para ampliar o acesso a seus conteúdos, a Fundação Bienal correaliza, com instituições culturais parceiras, o programa de mostras itinerantes. Além das exposições, a iniciativa inclui ações educativas e de difusão, estando alinhada à missão da Fundação de integrar cultura e educação à vida cotidiana”, afirma José Olympio da Veiga Pereira, presidente da Fundação Bienal.

 

Serviço

33ª Bienal de São Paulo - Afinidades Afetivas Itinerância Vitória

Local: Espaço Cultural Palácio Anchieta, Vitória, ES.

Abertura:27 de março, às 17 horas.

Período: de 28 de março a 30 de junho de 2019

Horário de visitação: de terça a sexta-feira, das 9 às 17 horas / sábados, domingos e feriados, das 9 às 16 horas.

Entrada gratuita.

Classificação indicativa: Livre.

Agendamento de visitação: (27) 3636-1032.