Estado registra queda de homicídios dolosos pelo quinto mês consecutivo

O Espírito Santo registrou queda no índice de homicídios dolosos pelo quinto mês seguido em 2019. Ao todo, foram 439 mortes de janeiro a maio deste ano contra 510 assassinatos no mesmo período de 2018, o que corresponde a 71 vidas poupadas. Somente em maio, em relação ao mesmo mês do ano anterior, foram 12 casos a menos, representando 13% de redução.

O governador do Estado, Renato Casagrande, destacou que os trabalhos est√£o resultando em dados positivos, mas ressaltou que deseja melhorar os indicadores a cada dia, reduzindo o n√ļmero de vidas perdidas no Esp√≠rito Santo. ‚ÄúOs resultados continuam positivos, mas mortes s√£o mortes. A gente nunca deve comemorar. Temos que seguir trabalhando e implementando pol√≠ticas para preservar a vida dos capixabas‚ÄĚ, afirmou.

Mantendo a tend√™ncia de redu√ß√£o de viol√™ncia, o Estado fechou os cinco primeiros meses do ano, novamente, com o menor n√ļmero de homic√≠dios da s√©rie hist√≥ria em 23 anos, sendo os 439 homic√≠dios registrados representando 38 casos a menos que 1996, que era o menor resultado desde ent√£o.

Todas as informa√ß√Ķes foram divulgadas, nesta quarta-feira (12), durante a reuni√£o mensal de avalia√ß√£o do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, realizada sob a lideran√ßa do governador Casagrande. Foram apresentados indicadores e discutidas as a√ß√Ķes aplicadas de enfrentamento e preven√ß√£o √† viol√™ncia e √† criminalidade, com foco, principalmente, nos crimes letais (homic√≠dio, feminic√≠dio, latroc√≠nio e les√£o corporal).

O secret√°rio de Estado da Seguran√ßa P√ļblica e Defesa Social, Roberto S√°, destacou o trabalho positivo, mesmo com as dificuldades encontradas. ‚ÄúNos crimes letais intencionais temos uma redu√ß√£o de 77 casos e nos primeiros dias de junho est√£o se mantendo. Em homic√≠dios dolosos temos uma redu√ß√£o de 71 casos. Estamos com o melhor n√ļmero da s√©rie hist√≥rica em 23 anos. Observando o contexto de dificuldade, precisamos dar mais √™nfase ainda para essa redu√ß√£o‚ÄĚ, asseverou.

 

Regi√Ķes

No quadrimestre, houve uma queda no n√ļmero de homic√≠dios dolosos em todas as regi√Ķes do Estado, sendo o maior √≠ndice na regi√£o serrana (- 42%), com redu√ß√£o de 26 para 15 casos em rela√ß√£o a 2018; seguida da sul (-30%), de 40 para 28 casos; da Metropolitana (- 12%), de 289 para 254 casos; da norte (-10%), de 107 para 96 casos; e da noroeste (-4%), de 48 para 46 casos. Munic√≠pios como Aracruz e Cariacica, que haviam apresentado resultados altos em abril, foram os destaques positivos, com oito e uma morte registradas no m√™s de maio, respectivamente.

De acordo com o delegado titular da Delegacia Especializada de Homic√≠dios e Prote√ß√£o √† Pessoa (DHPP) de Cariacica, Tarik Souki, as opera√ß√Ķes e pris√Ķes realizadas demonstraram o resultado efetivo da atua√ß√£o policial e dos ajustes realizados, em parceria com a Pol√≠cia Militar.

‚ÄúAs opera√ß√Ķes integradas est√£o mostrando o resultado. Foram 35 pris√Ķes, apreens√Ķes de armas, drogas e o enfraquecimento das quadrilhas do tr√°fico que atuavam na regi√£o e estavam cometendo esses homic√≠dios. N√£o vamos diminuir os esfor√ßos cont√≠nuos para colocar os homicidas atr√°s das grades‚ÄĚ, garantiu o delegado.

Somente nos primeiros quatro meses deste ano, foram realizadas pris√Ķes de 714 de homicidas no Esp√≠rito Santo e apreendidas 1.329 armas. No Esp√≠rito Santo, o Governo se prepara para colocar em funcionamento, ainda neste ano, a Delegacia de Investiga√ß√£o de Com√©rcio Il√≠cito das Armas, Muni√ß√Ķes e Explosivos (Desarme), o que tende a aumentar essas apreens√Ķes.

Durante a reunião, foi informado ainda que houve queda nos registros de furtos e roubos de veículos (-15,7%) e roubo de celular (-19%).

A reuni√£o contou com presen√ßas de representantes das pol√≠cias Civil, Militar e Federal, da Pol√≠cia Rodovi√°ria Federal, do Minist√©rio P√ļblico e da Defensoria P√ļblica do Estado, da Procuradoria Geral do Estado (PGE), do Poder Judici√°rio, al√©m dos secret√°rios de Estado da Justi√ßa, Luiz Carlos Cruz, e de Economia e Planejamento, √Ālvaro Duboc, que √© o coordenador executivo do Programa.

 

Instituto Sou da Paz

A reuni√£o de apresenta√ß√£o dos resultados do Estado Presente contou com participa√ß√£o do diretor executivo do Instituto Sou da Paz, Ivan Marques, e da assessora da Diretoria, Carolina Ricardo. Os dois estiveram no Esp√≠rito Santo para propor parcerias na implementa√ß√£o das pol√≠ticas p√ļblicas de redu√ß√£o da criminalidade.

‚ÄúTemos 20 anos de hist√≥ria de redu√ß√£o de letalidade violenta no Pa√≠s. Come√ßamos com o trabalho de convencimento do desarmamento e segue com a redu√ß√£o de circula√ß√£o de armas para diminuir a letalidade. Os dados do Atlas da Viol√™ncia comprovam que uma sociedade menos armada, com um poder p√ļblico capaz de tirar a arma da m√£o do criminoso, consegue construir uma sociedade mais segura. O Sou da Paz tem se aprimorado em pesquisas e apoio a governos que pretendem implantar pol√≠ticas p√ļblicas da redu√ß√£o da criminalidade‚ÄĚ, disse Ivan Marques.

O diretor do Instituto Sou da Paz ainda elogiou as diretrizes de pris√£o qualificada de homicidas e foco nas apreens√Ķes de armas de fogo, do Programa Estado Presente.

ÔĽŅ
ÔĽŅ