Estado e PF fecham acordo para uso de sistema de identificação de criminosos

A PolĂ­cia Civil do EspĂ­rito Santo ganhou um grande aliado para aumentar a capacidade de identificação de criminosos. Isso porque o Governo do Estado assinou um convĂȘnio, por meio da Secretaria de Estado da Segurança PĂșblica (Sesp), que possibilita Ă  Corporação o acesso a todo o banco de dados nacional da PolĂ­cia Federal, com comparação de digitais feitas por meio biomĂ©trico.

A assinatura do convĂȘnio, realizada na Ășltima quarta-feira (10) durante a reuniĂŁo do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, no PalĂĄcio da Fonte Grande, retoma o trabalho que foi realizado na primeira gestĂŁo do governador Renato Casagrande e que nĂŁo havia sido renovado, desde o ano de 2014, quando o termo foi finalizado oficialmente e a PCES passou a utilizar o Sistema Automatizado de Identificação por ImpressĂ”es Digitais (Afis) de maneira informal, por meio de cortesia, na PF.

O sistema possibilita pesquisar em um banco de dados as imagens das impressÔes digitais de criminosos de todo o País. Cada imagem que a måquina dispÔe é rigorosamente verificada pelos peritos da unidade. O recurso tem facilitado o trabalho da perícia e permitido laudos com 100% de certeza da autoria de crimes.

Ao realizar a coleta de fragmentos de impressĂ”es digitais em um local de ocorrĂȘncia, essas informaçÔes sĂŁo digitalizadas e inseridas no sistema Afis que faz uma pesquisa no banco de dados criminal que permite comparação automĂĄtica das impressĂ”es digitais.

 

Redução de homicídios

O acordo de cooperação para utilização do Afis da PolĂ­cia Federal busca aumentar ainda mais a eficĂĄcia do Estado na redução da letalidade. Dados da Secretaria de Estado da Segurança PĂșblica e Defesa Social (Sesp) mostram que o EspĂ­rito Santo fechou o mĂȘs de junho e o primeiro semestre de 2019 com reduçÔes histĂłricas de homicĂ­dios.

No total, de janeiro a junho deste ano, foram registrados 498 assassinatos, uma redução de 18,2% em relação ao nĂșmero de casos em 2018, quando foram registradas 609 vĂ­timas. É a primeira vez que o Estado termina um perĂ­odo de seis primeiros meses com menos de 500 homicĂ­dios na sĂ©rie histĂłrica, que engloba o perĂ­odo entre 1996 e 2019.

O Ășltimo mĂȘs de junho contribuiu de forma crucial para esse resultado. Foram registradas 59 mortes dolosas, menor nĂșmero contando qualquer mĂȘs nos Ășltimos 23 anos. O mĂȘs de julho de 2018 havia sido o melhor da sĂ©rie histĂłrica, com 67 assassinatos. Em relação ao mesmo mĂȘs do ano passado, a redução dos homicĂ­dios foi de 40%. Em julho de 2018, foram contabilizados 99 homicĂ­dios.

ï»ż
ï»ż